lobo888 -A Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul (ALRS) aprovou por unanimidade o reajuste do piso no m

Proposta de reajuslobo888 -te salarial do magistério aprovada

A Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul (ALRS) aprovou por unanimidade o reajuste do piso no magistério em 3,lobo888 -62%, nesta terça-feira (12). O projeto foi encaminhado pelo governador Eduardo Leite (PSDB) em regime de urgência. O aumento é retroativo a 1º de janeiro de 2024 e eleva os salários dos professores da rede estadual de ensino para, no mínimo, o novo piso nacional, de R$ 4.580,59 para 40 horas semanais de trabalho.

Continua após publicidade

Apesar de seguir o índice definido pelo Ministério da Educação (MEC) em janeiro, o reajuste pode não chegar integralmente a todos os professores e professoras pois o projeto encaminhado pelo governo estadual prevê que o aumento será descontado daqueles que possuem parcela de irredutibilidade, formada pelas vantagens temporais (triênios) com os adicionais por tempo de serviço extintos na reforma do plano de carreira realizada em 2020.

O alerta é do Centro dos Professores do Estado do Rio Grande do Sul (CPERS), que representa a categoria e os servidores na rede pública estadual. A entidade, que vinha cobrando a inclusão desses servidores no reajuste e aguardava por reuniões com o governador para debater a questão, critica ainda que o reajuste não atinge funcionárias e trabalhadores aposentados, além de pensionistas sem paridade.

O projeto estava previsto para ser votado na próxima semana, mas acabou entrando na ordem do dia poucas horas antes da sessão. A manobra foi criticada pelos deputados a oposição, que acabaram votando a favor do texto, mas com protestos por conta do reajuste não alcançar a todos os servidores da mesma forma.

Emenda do PT descartada

Durante a sessão plenária, uma emenda do deputado Luiz Fernando Mainardi (PT) foi apresentada à proposição. Entre outros pontos, a proposta buscava que o reajuste fosse aplicado também sobre a parcela autônoma e sobre a parcela de irredutibilidade, e que esta última não fosse absorvida pelo reajuste. Pedia também que o percentual fosse aplicado aos professores inativos e pensionistas sem paridade e sobre as gratificações e adicionais, que estão congelados desde a alteração do Plano de Carreira.

Contudo a emenda não foi apreciada em função da aprovação de requerimento do líder do governo, deputado Frederico Antunes (PP), para preferência de votação do texto do projeto.

Em sua manifestação, a deputada Sofia Cavedon (PT), que preside a Comissão de Educação da ALRS, defendeu a emenda do seu partido. Ela lembrou que o índice foi concedido em legislação federal, mas que no estado a questão é diferente, já que o governo Leite aprofunda mecanismos de diferenciação de reajustes salariais.

"Mecanismos perversos, mecanismos em que ele contabiliza um número, mas de fato retira do próprio salário das carreiras dos servidores grande parte desse número", explicou, acusando o governo de achatar profundamente a carreira do magistério.

A parlamentar disse ainda que o índice proposto não vai incidir sobre todo o valor do subsídio, pois vai engolir a parcela de irredutibilidade, além de penalizar os aposentados.

Novos valores

Conforme cálculo do Tesouro do Estado, o impacto aos cofres públicos é estimado em R$ 234 milhões ao ano. Com a aprovação do projeto, veja como ficam os subsídios:


Nova tabela de remuneração / Fonte: Gov RS

CPERS convoca assembleia geral de mobilização

Contrariados com a aprovação do projeto do governo Leite, o CPERS convocou a categoria para uma assembleia geral de mobilização, no dia 22 de março, a partir das 13h30, na Casa do Gaúcho, em Porto Alegre.

Em nota, a presidenta do sindicato, Helenir Aguiar Schürer, afirma que "se o governo acha que correndo para aprovar essa pauta nos calaria, é ao contrário. Ele só faz com que a gente chame com ainda mais força a nossa categoria. Agora, nós exigimos a revisão geral, onde todos sejam contemplados e também o reajuste do básico dos funcionários de escola".


Fonte: BdF Rio Grande do Sul

Edição: Marcelo Ferreira


Relacionadas

  • RS continua a tendência nacional de aumento das escolas particulares e redução da rede pública

  • Governo Leite desiste de banir 'O Avesso da Pele' das escolas de RS

  • 'Leite tem um projeto bem claro que é o da privatização', afirma diretora de sindicato da educação no RS

  • Observatório da Educação Pública do RS revela escolas fechadas, redução de funcionários públicos concursados e evasão escolar

Outras notícias

  • Recém-formados reprovam Novo Ensino Médio do governo Temer; professora fala em 'cenário assustador'

  • Funcionários da UFRGS, UFCSPA e IFRS aderem à greve nacional e paralisam atividades

  • Funcionários das universidades federais entram em greve apesar de reconhecer avanços do governo atual

BdF
  • Quem Somos

  • Parceiros

  • Publicidade

  • Contato

  • Newsletters

  • Política de Privacidade

Redes sociais:


Todos os conteúdos de produção exclusiva e de autoria editorial do Brasil de Fato podem ser reproduzidos, desde que não sejam alterados e que se deem os devidos créditos.

Visitantes, por favor deixem um comentário::

© 2024.sitemap