hoogste bonus online casino -O presidente Javier Milei confirmou seu plano de combate aos funcionários públicos federais, insisti

Milei comemora dhoogste bonus online casino -emissão de 70 mil funcionários

O presidente Javier Milei confirmou seu plano de combate aos funcionários públicos federais,ãodemilfuncionáhoogste bonus online casino - insistindo que não renovará nenhum dos 70 mil contratos que se encerram no final de março.

Continua após o anúncio

Em discurso de mais de uma hora diante de empresários, na terça-feira (26), Milei dedicou vários parágrafos ao ajuste fiscal. Em uma lista de "conquistas", ele afirmou que “também demitimos 50 mil funcionários públicos, e não apenas isso, mas também cancelamos contratos, e agora mais contratos estão sendo rescindidos, com um total de 70 mil contratos a serem encerrados”.

Esses 70 mil contratos correspondem ao número total de contratados pelo estado nacional por meio de duas modalidades, e todos esses acordos expiram no final de março. Durante a semana, fontes do governo nacional haviam indicado que o número de desligamentos seria de “apenas” 15 mil.

Além disso, o presidente reiterou sua posição de reduzir o poder de compra do peso em relação ao dólar e aos demais preços. Isso resulta em uma forte diminuição no valor dos rendimentos e das economias da população, especialmente para aqueles com menos capacidade de se proteger contra a inflação e a desvalorização.

Em resposta, Rodolfo Aguiar, secretário-geral do sindicato dos funcionários públicos (ATE), afirmou em sua conta no X (antigo twitter): “Presidente Javier Milei, você não conseguirá demitir 70 mil funcionários públicos como gostaria. Hoje, as manifestações se multiplicaram em todo o país, e a tensão no estado continuará aumentando.”

O presidente acrescentou à sua lista de ações a eliminação de obras públicas e a redução das transferências de gastos não obrigatórios para as províncias, tudo isso para diminuir o déficit nas contas públicas.

Banco, ações e desvalorização

Em outra parte de seu discurso, com o qual encerrou o Fórum Econômico Internacional das Américas, Milei destacou que defende uma desregulamentação total do sistema financeiro. Segundo o presidente, o “banco livre”, sem o Banco Central (credor de última instância) deveria acompanhar uma eliminação das regras de administração do mercado de câmbio (as ações).

“É importante começar a construir um sistema que não necessite de credor de última instância. Queremos integrar o formato dos bancos com um formato de capital, avançar para um formato de banca livre que nos permita conseguir levantar as ações e só depois mandar a lei da emissão não monetária, porque emitir dinheiro é uma farsa.”

Uma integração entre o sistema bancário e o mercado de capitais, sem regulamentação e sem banco central, não faz parte da receita de nenhum governo onde o desenvolvimento do capitalismo é muito superior ao da Argentina. Em todos esses países, existem regulamentações exercidas pelo banco central, que atua como o prestamista de última instância do sistema bancário. Caso contrário, os poupadores poderiam ver suas economias desaparecerem com as oscilações dos fluxos de capitais especulativos, algo que também ocorre.

Em países onde o desenvolvimento do capitalismo é significativamente superior ao da Argentina, é essencial que haja regulamentação e um banco central para supervisionar a integração entre o sistema bancário e o mercado de capitais. O banco central atua como mutuante de última instância, garantindo a estabilidade financeira. Sem essa regulamentação, os poupadores arriscariam perder suas economias devido às flutuações nos fluxos de capitais especulativos, o que também acontece.

O presidente também descartou uma nova desvalorização significativa do peso, apesar da perda diária de valor que a moeda nacional sofre, resultando em uma queda de 2% ao mês em relação ao dólar. 

Outro golpe 

Além do ataque aos trabalhadores estatais, aos empresários da obra pública, aos políticos que não concordam com suas ideias (a quem ele chamou de “orcos”, ou &39;deus do submundo&39; na mitologia romana) e aos beneficiários de programas sociais, Milei também mirou o Grupo Clarín. Ele expressou insatisfação com a permissão concedida à empresa Starlink, do bilionário Elon Musk, para operar na Argentina oferecendo serviços de internet e, no futuro, telefonia móvel. 

De acordo com Milei, essa decisão justificaria as frequentes críticas à sua gestão que foram divulgadas nas várias plataformas do Grupo Clarín. 

Entretanto, o serviço de conectividade oferecido pelas empresas desse conglomerado é significativamente mais econômico do que a Starlink para um serviço semelhante, especialmente nas áreas urbanas, onde reside a maioria da população. A ameaça da Starlink afeta principalmente pequenas empresas e cooperativas que atendem à parcela restante da população. 

Eleições 2025 

Em relação às eleições de 2025, Milei demonstrou grande otimismo com seu futuro político. Ele afirmou: “Vamos fazer uma eleição muito melhor do que a que fizemos, e com uma composição diferente do Congresso, conseguiremos implementar todas as reformas que não conseguimos fazer agora. Além disso, aprovaremos outras três mil reformas pendentes, que não podemos aprovar por causa dessa máquina de delinquentes fanáticos por impedir o progresso.” 

“Estou muito otimista quanto ao futuro, estamos conseguindo muitas coisas apesar da política. Quando assumimos o cargo, apenas 20% das pessoas acreditavam que iriam melhorar e hoje esse número subiu para 50%. Apesar de estarmos em uma situação desfavorável no momento, metade dos argentinos está convencida de que daqui em diante seremos melhores”, concluiu. 


Relacionadas

  • Funcionários públicos da Argentina fazem greve nacional de 48 horas 

  • Governador de Buenos Aires se reúne com Dilma e busca apoio nos Brics para driblar cortes de Milei 

Outras notícias

  • Manipulação religiosa, deboches e falsas simetrias como método na política

  • O que se sabe até agora dos dois atentados que mataram 30 pessoas nos EUA

  • Saiba quem são e o que pensam os políticos da bancada bolsonarista

BdF
  • Quem Somos

  • Parceiros

  • Publicidade

  • Contato

  • Newsletters

  • Política de Privacidade

Redes sociais:


Todos os conteúdos de produção exclusiva e de autoria editorial do Brasil de Fato podem ser reproduzidos, desde que não sejam alterados e que se deem os devidos créditos.

Visitantes, por favor deixem um comentário::

© 2024.sitemap